Idosa de Presidente Kennedy reencontra filha após 48 anos

A equipe do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) de Presidente Kennedy proporcionou um emocionante reencontro nesta terça-feira (21).  Depois de 48 anos separadas, mãe e filha tiveram a oportunidade de se reencontrar. O momento, que não poderia ser diferente, foi de muita comoção.

Tudo começou no ano passado, quando a equipe técnica do Creas iniciou um acompanhamento com a aposentada Ilka da Cruz Barbosa, de 67 anos. A idosa é moradora de Presidente Kennedy há mais de 25 anos e confidenciou a existência de uma filha com nome de Sandra Regina a qual não via há 48 anos. Dona Ilka contou que o ex-marido havia sumido com a criança ainda com 11 meses de vida. Depois deste dia, os laços foram cortados e elas nunca mais se viram. Até então ninguém sabia dessa historia, nem os outros filhos.

Em uma visita domiciliar as assistentes sociais observaram a importância e a vontade da idosa de reencontrar a filha, visto que a aposentada tem problemas de saúde e se encontra em um quadro depressivo. Foi então que a equipe decidiu iniciar a busca pela filha desaparecida.

O trabalho foi iniciado em abril de 2016. A procura foi direcionada para o Rio de Janeiro. Foi lá que a aposentada passou a maior parte da vida.  Através do Sistema Único de Saúde, uma pessoa com o nome da filha desaparecida foi encontrada na comunidade de Gramacho, em Duque de Caxias. Uma assistente social então entrou em contato com uma agente de saúde do local que depois de várias buscas localizou Sandra Regina Peres Moraes na comunidade. Confirmado o endereço, a Equipe do Creas de Presidente Kennedy, se deslocou até a residência de Sandra e fez o primeiro contato.

 Sandra, agora com 50 anos, realiza um trabalho social na cidade no natal e a princípio, pensou que a visita se tratava do assunto. No decorrer da conversa, os reais motivos foram relevados e o momento foi de muita emoção. Sandra Regina sempre acreditou que a mãe a havia abandonado e que depois de alguns anos veio a falecer.

Hoje, a história mudou. Sandra chegou à cidade para resgatar sua história. Muito emocionada, ela disse que este momento foi um presente. “Não consigo nem mensurar o tamanho da alegria. Agora, é recuperar o tempo perdido. Vamos conversar muito”, disse contente.

Com a fala embargada, dona Ilka só conseguiu agradecer. “Se não fosse a preocupação dessa equipe, eu nunca encontraria minha filha, jamais vou conseguir agradecer o que essas meninas fizeram por mim”, afirmou.

Comente com seu Facebook