Câmara vai convocar secretária para sabatina

Vereador Diogo Lube (PDT): precisamos de esclarecimentos (Foto: Reprodução/Facebook)

Denúncias de alunos sem aulas em escolas de Cachoeiro de Itapemirim por falta de professores terão que ser explicadas pela Secretaria Municipal de Educação no plenário da Câmara Municipal, uma vez que a titular da pasta Cristina Lens Bastos de Vargas será convocada pelos vereadores integrantes da Comissão Permanente de Educação. O comparecimento da secretária deverá ocorrer na próxima sessão – terça-feira (14), a partir das 14h.

“Recebemos denúncias de professores e gestores falando de situações específicas, como escolas onde ainda não chegaram professores ou unidades onde alunos ficam sem aulas. A pauta da reunião desta quarta-feira (08), às 15h, da comissão é para solicitar estes esclarecimentos”, disse o relator da Comissão de Educação, vereador Diogo Lube (PDT).

Além da denúncia de alunos sem aulas nas escolas da prefeitura, há outras queixas sendo levantadas, segundo o edil. “Há diretores de escolas e funcionários em Designação Temporária (DTs) que reclamam por não conseguirem ser recebidos pela secretária e nem nas subsecretarias, devido à agenda”, informou.

Segundo Diogo, a convocação da secretária de Educação será positiva também para que haja publicidade dos projetos da pasta. “Precisamos destes esclarecimentos para que a educação tenha, de fato, uma melhor oferta para Cachoeiro”, disse.

 

Contradição

O discurso da secretária Cristina Lens na Câmara, caso haja realmente a convocação, dará luz à contradição entre a denúncia de professores sobre o prejuízo educacional aos alunos com a falta de aulas e a afirmação da prefeitura de que há “estratégias dentro da escola para que as aulas aconteçam normalmente”.

O jornal ES de Fato trouxe o assunto à tona na sexta-feira, quando educadores, que não se identificaram, disseram que há vagas ociosas na Rede Municipal de Ensino enquanto há professores desempregados.

No dia, a administração pública municipal afirmou que há vagas, que são oriundas de desistências dos profissionais que já haviam escolhido essas vagas durante o processo de contratação.

Fato online

Comente com seu Facebook